All posts tagged: paris

La Tarte Tropezienne: Saint-Tropez alert!

É um hambúrguer? Não, mon chèr, é uma Tarte Tropezienne, receita lendária de Alexandre Micka datada de 1955, um segredo de cozinha de sua avó. Micka, que tinha na época sua pâtisserie em Saint-Tropez, logo criou certo burburinho na cidade com sua brioche recheada com creme e salpicada de açúcar . Não longe dali, as filmagens de « Et Dieu créa la femme », e quem vira fã incondicional da torta? A BB, a tal Brigitte Bardot, que fazia o papel principal do filme, a batizando de Tarte Tropezienne. Bom, a partir daí, não preciso falar do sucesso da torta em toda a França, né? Quando se fala nessa torta, o que vem à nossa cabeça? Praia, Saint-Tropez, brisa do mar, férias, sol…Eu nunca tinha provado, minha primeira vez foi ontem, e posso dizer que ela é muito boa 🙂 As lojas oficiais da Tarte Tropezienne estão espalhadas no sul da França e em Paris. Veja os endereços aqui: http://www.latartetropezienne.fr/#!nous-situer La Tarte Tropezienne www.latartetropezienne.fr

Chilling out nos jardins do Mandarin Oriental

Continuando minha saga de brunchs dominicais, o último escolhido foi o do Mandarin Oriental Paris, um harém de natureza e tranquilidade em plena Rue de Rivoli, a rua do « frevo », das compras, do chiquetê parisiense. O hotel é sofisticado, com um ótimo serviço e faz parte de um grupo chinês de hotelaria que foi criado em 1963. Sophie Marceau, Lucy Liu e Sigourney Weaver se hospedam num dos hotéis da rede quando viajam pelo mundo (eles existem em 24 países). Enfim, a déco é linda, com um quê de jardim asiático no meio do estabelecimento, onde reúnem-se grupos de hóspedes para tomar um drink, se entregar ao chilling ou simplesmente degustar o chá da tarde. O buffet do restaurante Camélia, dirigido pelo excelente chef especialista em cozinha molecular Thierry Marx, é composto de sushis, tataki de salmão label rouge, antipasti árabes (houmous e cia), charcuteries, sopas, viennoeseries, queijos, etc. Um bom começo para o que está por vir: o prato quente. No meu caso, pedi o mais que tudo Ravioli de Lagosta, inesquecível e delicioso! Leve, intenso e …

Um domingo digno de um palácio no La Bauhinia

Domingo é dia de brunch, e a escolha de ontem foi o La Bauhinia, restaurante do palácio parisiense Shangri-la Hotel Paris – simplesmente a antiga residência do príncipe Roland Bonaparte, tá? – perto de Iéna. Um hotel digno de contos de fadas, e o brunch, comandado pelo novo chef étoilé da casa Christophe Moret, é de arrasar quarteirões. A começar pelo décor do restô, uma mistura de influências asiáticas e francesas (o hotel pertence a um grupo asiático de hotelaria): o papel de parede verde-piscina tem motivos florais bem chineses, o piano Pleyel é dedilhado por um músico e cantarolado uma artista durante o brunch num ambiente familiar e gostoso.                             O brunch começa com bebidas quentes (derretido à l’ancienne), sucos de frutas naturais e buffet de viennoiseries (pequenos pains au chocolat, pain aux raisins, croissants, tudo que eu adoro e engordo só de olhar) e, para quem gosta, charcuteries (linguiças, presuntos, etc). Em seguida, no menu, ovos de várias maneiras (Bénédictine, …

O majestuoso The Peninsula Paris

Ontem fui visitar o hotel The Peninsula Paris, o extremo do chique em hotelaria em termos de serviço e déco. O grupo que detém o estabelecimento é de Hong Kong , e eles não poupam recursos para fazerem bonito: o prédio, antiga sede do Hotel Majestic – datado do fim do século XIX  – foi inteiramente reformado com os profissionais – franceses, é claro – mais preparados da atualidade (dentre eles, Cinzia Pasquali, que passou sua vida restaurando obras de Leonardo da Vinci, do Louvre e do Château de Versailles). O resultado é um luxo sem fim, lindo de se ver. A dois passos do Arc du Triomphe, a entrada pela Avenue Kléber é sofisticadissima, com dois leões – que, segundo a assessora de imprensa do local, são os símbolos e protetores do hotel.   Sabe a música « Un américan à Paris  » de Gershwin? Foi composta lá. Sabe o Tratado de Paz da Guerra do Vietnã? Foi assinado lá (na época, o Hotel Majestic tinha dado lugar ao Ministère des Affaires Etrangères). O hotel …

O caminho suave do Atelier Bartavelle

Alexia Tronel é uma das cabeças pensantes do Atelier Bartavelle, junto com a designer Caroline Perdrix. A marca, parisiense da gema, recebeu o blog em seu ateliê no bairro da Bastilha para contar um pouco de seu percurso: criada em 2013, ela já conta com três coleções na manga. A ultima, a Les Islettes, para o Verão 2015, veio carregada de saveoir-faire indiano, com o trabalho belíssimo das bordadeiras do Gujarat. O label, antes de qualquer coisa, tem uma preocupação ética e durável com a produção de suas peças (totalmente made in France, mais especificamente na Marselha). « Temos o cuidado de acompanhar o trabalho das costureiras desde o começo da escala de produção. O resultado final vem gravado na nossa etiqueta, com o nome da costureira que o fabricou« , conta Alexia ao blog,  orgulhosa da orientação responsável da marca. Quanto à coleção do próximo verão, ela veio linda e fresca, inspirada no índigo de Marselha (de onde vem Caroline) e suas embarcações: coletes sem manga, casacos, perfectos e trenchs fazem parte dessa viagem fresca e sutil em direção …

A casa de chá Angelina, passagem obrigatória em Paris

A casa de chá Angelina, em Paris, é um desses lugares que formam filas quilométricas na entrada, na Rue de Rivoli, 226, em frente ao Louvre. Mas depois de perder um bom tempo na fila, a sensação de que marcamos um gol é certeira: la dentro toma-se o melhor chocolate quente da cidade (acompanhado de quitutes divinos, desses de comer ajoelhado e rezando). A entrada do Angelina, na rue de Rivoli A vitrine suculenta de marrons Fundado em 1903 por um austríaco chamado Antoine Rupelmayer em homenagem à sua nora Angelina, o lugar tornou-se mítico com o passar dos anos, com as visitas ilustres de Marcel Proust, Coco Chanel e outros célebres costureiros da época. Hoje, passados 111 anos, o carro chefe da casa, com déco Belle Epoque de época e toda reformada recentemente, é o tal do Mont Blanc (feito de creme de marron – a nossa castanha portuguesa – que recobre um suspiro recheado com um creme homemade): o quitute é simplesmente vendido a 2500 unidades em toda a França. Além da belezinha …

Cara e Kate inauguram as vitrines do Printemps em Paris

Ontem foi a grande inauguração das célebres vitrines de Natal do Printemps, dessa vez com a participação da inglesa Burberry com o « Noel, voyage magique pour Burberry ». As tops Cara Delavingne e Kate Moss, égéries da marca, vieram especialmente para a ocasião, que revelou o cenário natalino em 3D com a historia do pequeno garotinho inglês que viaja da Regent Street, 121 (flagship da loja na capital inglesa) até Paris com seu ursinho debaixo do braço. A grande novidade da vez: é possível tirar fotos em forma de cartão postal das onze vitrines que compõem o cenário e envia-la imediatamente a amigos e familiares <3